quarta-feira, 25 de abril de 2012

Disciplina tática não é retranca

Como explicar o triunfo do Chelsea sobre o Barcelona? Sorte? Capricho dos deuses do futebol? Futebol eficiente e de muita marcação? Determinação e garra dos ingleses? Talvez um pouco de tudo isso. O time inglês entrou nos dois jogos com uma proposta de marcação forte e contra-ataques em alta velocidade. Deu certo, conseguiu parar o forte ataque catalão e ainda fazer 3 gols.

Claro que não estaríamos comentando este triunfo hoje se Messi tivesse aproveitado o pênalti que mandou na trave ou se Daniel Alves tivesse saído meio segundo antes para cruzar a bola que resultou no gol bem anulado por impedimento. Sem contar as chances desperdiçadas no primeiro jogo. É aí que entrou a dose de sorte do Chelsea e o capricho divino. Mas quantos times foram campeões sem um toque de sorte?

O jogo passou e minha preocupação agora são as consequências dele. Muitos já estão comparando a situação com o ocorrido com a Seleção Brasileira em 1982 ao perder para Itália. E já começam os burburinhos de que “não adianta encantar e não vencer” e de que é mais eficiente jogar marcando do que jogando bonito. Acredito que tais declarações estão envoltas por um pouco de oportunismo e análises superficiais.

Primeiro, deve-se lembrar de que o futebol praticado pelo Barcelona conquistou vários títulos nos últimos anos. Todo time vencedor uma hora acaba perdendo, pois futebol já ensinou que não existe time eternamente imbatível. Aliás, é um dos poucos esportes onde nem sempre o melhor vence. Além disso, e principalmente, deve-se levar em conta de que o Chelsea não é um praticamente do futebol retranca, apenas precisou dele para este jogo. O time inglês reconhecia a superioridade do Barcelona e sabia que a única forma de superá-lo seria com forte marcação. Procuraram marcar o passe espanhol e com isso evitar suas perigosas tabelas no ataque. A saída para o Barcelona seria a jogada individual (mas Messi não estava num dia inspirado) ou a bola aérea, fato que chegou a ser tentado, mas não é a especialidade do time.

Assim, venceu a forte marcação inglesa. Assim, antes que apareçam “Joéis” tentando enaltecer o futebol de retranca, digo que não se deve confundir retranca com disciplina tática. Não dá para chamar de retranqueiro o time inglês que quase sempre joga com 3 atacantes (atualmente não está jogando assim por causa da fase ruim dos atacantes, como Fernando Torres por exemplo), com Mata e Lampard no meio campo e Ramires e Meirelles subindo sempre. Porém, para enfrentar o Barcelona, a melhor tática não seria jogar aberto, pois provavelmente perderia. Já contra outros adversários, é provável que o Chelsea não jogue desta maneira. É bem diferente de técnicos retranqueiros no Brasil que jogam fechados contra grandes no Campeonato Brasileiro e contra pequenos nos Estaduais.

Outro problema que surge com a derrota do Barcelona é o oportunismo daqueles que agiam com desdém diante do futebol praticado por eles e agora vêm com a famosa frase “eu não disse”. A maioria dos colegas jornalistas o faz por puro bairrismo. E é por causa de pensamentos bairristas como esse que o Futebol Brasileiro está uma porcaria. Ficam nesse “oba oba” e nas frases feitas de que "temos o melhor futebol do mundo" e tapam os olhos para a realidade. Pode haver exagero, mas a admiração ao Barcelona não surgiu de clubismo, mídia ou puro marketing. O time realmente joga um bom futebol e se daqui a 10 0u 100 anos não vai mais jogar assim é outro problema. Isso não impede ninguém de reconhecer o bom trabalho atual deles. O primeiro passo para melhorarmos nosso futebol é justamente reconhecendo que há outros times praticando um futebol melhor fora daqui.

Concluindo, parabéns ao Chelsea pela garra e pela disciplina tática. A eliminação deve chatear os jogadores e torcedores do Barcelona, mas duvido que eles passem a achar que tudo que foi praticado até agora não valeu à pena. Isso só é verdade nas cabeça duras de oportunistas ou de analistas superficiais.

1 comentários:

Anônimo disse...

Concordo com tudo o que foi dito, André. Ouvi muitos comentários oportunistas falando que era inicio da decadência do Barcelona. Absurdo! Quer dizer que o time tem que vencer todas as competições pra ser bom? Perdeu uma e já não presta mais..

Em 2010, o Barcelona perdeu nas semifinais para a Internazionale de Mourinho. A Inter também jogava marcando muito forte e saía no contra-ataque. O Barcelona perdeu. Mas no ano seguinte, voltou a vencer.

Muitos também falaram que Messi amarelou.. Brincadeira falar uma coisa dessas. Messi já venceu todos os títulos europeus que disputou, jogou tantas partidas mais importantes ou tensas do que a partida de ontem. Porque ele amarelaria? Só não estava num bom dia, numa boa fase.. Isso é futebol. Acontece.

Enfim, foi um belo jogo de futebol, onde nem sempre vence o time mais talentoso. Neste caso, o time menos talentoso soube vencer.

25 de abril de 2012 19:56

Postar um comentário

Pesquisar este blog