sábado, 7 de abril de 2012

Na má fase, "joga pra torcida"


Apesar da vitória sobre o Vasco por 2 a 1, Flamengo não apaga, muito menos esconde seus defeitos. A vitória conquistada aos 47 do segundo tempo num pênalti cobrado por Ronaldinho, não chegou a ser injusta, se é que isso existe no futebol. Mas a equipe rubro-negra ficou longe de fazer uma boa partida.
A única coisa que mudou na equipe rubro-negra foi a comemoração. Deixaram de fazer aquelas dancinhas ridículas e comemoraram todos abraçados pra dizer que o grupo está “UNIDO”. A menos que seja indício de uma mudança, verdadeira, de postura, esta comemoração é tão pífia quanto as dancinhas.
Comemorações fora, a equipe flamenguista não demonstrou qualquer mudança de postura diante de um Vasco misto e até um pouco desinteressado. O time continua levando gols de pelada, errando muitos passes e sua maior estrela jogando mal e se movimentando tanto quanto uma preguiça.
Ronaldinho, sempre exaltou o clube e sua torcida. Só que ao fazer o gol da vitória sobre o Vasco, R10 fez um sinal característico da maior torcida “organizada” do clube. Isso o meia ainda não tinha feito. Será que é buscando apoio e fazendo média por conta da sua baixa produtividade? Pior é que parte da torcida cai neste tipo de “armadilha” e grita o nome do jogador. Esse truque não é novo. Assim como o treinador do time pedir para os jogadores agradecerem a torcida. É o que chamam de “jogar pra torcida”.
 Nesta sexta-feira, 6 de abril, a presidente Patrícia Amorim fez uma reunião na concentração do time para cobrar maior comprometimento e melhores resultados. Nesta reunião, o atacante Deivid falou em nome da equipe. Neste caso, não seria o capitão da equipe que deveria ser o porta-voz? Não deveria ser o líder e responder pelo grupo? Talvez o assunto da reunião não seja o forte de R10.

Arbitragem, reclamações vascaínas, policiais e público
A atuação do árbitro Wagner dos Santos Rosa não justifica a confusão armada por alguns jogadores do Vasco. Após o apito final, Rodolfo e Eduardo Costa só não agrediram o árbitro do jogo porque policiais os impediram.
Os jogadores reclamaram por conta de um suposto pênalti que o lateral Thiago Feltri teria sofrido aos 29 do segundo tempo. Tem juiz que marca esse tipo de pênalti, mas não foi.
Outra cena lamentável foi  a do presidente Roberto Dinamite entrando em campo para reclamar da arbitragem. Não que ele não tenha o direito de reclamar, mas ver qualquer presidente de clube entrando no gramado do estádio para dizer que o juiz roubou o seu clube é retrógrado.
Para completar, em meio a confusão entre jogadores e juiz, tinha um policial com arma de fogo. Arma de fogo dentro de um campo de futebol é tão absurdo. Se a arma dispara por algum motivo/acidente? Não foi a primeira vez que vi. Isso não vai dar certo.
Finalizando, é o segundo clássico em uma semana e os dois tiveram públicos de clubes pequenos. O clássico entre Vasco e Flamengo teve um público 14.152 espectadores. Enquanto no domingo passado, o jogo entre Fluminense e Botafogo tiveram 11.340 presentes. Dá-lhe CARIOCÃO!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

Jorge Rabello é um filho de uma vagabunda

8 de abril de 2012 21:05
Anônimo disse...

Jorge Rabello ta dando um cu gordo dele para os árbitros e bandeirinhas, última mente tem dado para o Wagner dos Santos Rosa já que estão falando por ai que o Rabello tem comido vários travesti na orla. Que vergonha além de bandido e corrupto é viado. Wagner dos Santos Rosinha é um pau mandado gosta que chupem o rabo dele. Na Ferj só tem bandido, se der R$5,00 qualquer um come o rabo deles de tão fudidos que eles são. A Comissão de Arbitragem do Rio já era, com esses bando agindo de maneira irregular o futebol carioca nunca será bem visto mundialmente, como o futebol paulista que tem um excelente campeonato. Demonstro aqui a minha fúria porque é um vergonha conhecer o Rabello e saber que ele é um safado e que faz um papel ridículo.

8 de abril de 2012 21:15

Postar um comentário

Pesquisar este blog